A cesariana é realizada com grande frequencia em nosso meio, sendo que os hospitais privados a incidência de cesária é 80%.
Existem casos em que há indicação para cesária, são eles:

  • Cesárea de repetição (mais de 2 cesáreas)
  • Desproporção cefalopélvica (em geral por fetos grandes)
  • Sofrimento fetal
  • Alterações na contratilidade uterina (distócia funcional)
  • Inserção de baixa placenta
  • Prolapso do cordão umbilical
  • Descolamento prematuro da placenta
  • Apresentação fetal anômala (apresentação pélvica, apresentação córmica)
  • Rotura prematura das membranas
  • Pacientes portadoras de HIV
  • Doenças maternais que requerem a antecipação do parto.

Contudo, nem sempre há alguma dessas indicações, mas, ainda assim, a gestante solicita por receio do parto normal. Cabe ao obstetra acalmá-la explicando o processo. Se mesmo assim persistir o medo do parto normal e a gestante solicitar a cesárea devemos ressaltar que, apesar da cesárea ser uma técnica segura e de ser considerada uma prática comum na obstetrícia, a cesárea não é um procedimento isento de riscos, devendo sua indicação basear-se em um conjunto de fatores que visem ao bem estar materno e fetal.

2017 © Todos os Direitos Reservados - Dra. Maria Angélica Belonia

Desenvolvido por KION | Soluções Web