Definição de corrimento:

Corrimento é a aumento da umidade vaginal de tal intensidade que causa desconforto à menina ou mulher.

As mucosas (como a vagina, a boca e os olhos) necessitam de umidade para se proteger. Sendo que o “líquido” que molha a calcinha pode provir da vulva (genitais externos), da vagina, do colo do útero, do corpo do útero (parte interna) e das trompas.

A vulva tem comportamento biológico semelhante à axila, isto é, quando a mulher transpira na axila também está transpirando na vulva e molhando a calcinha de suor, o que pode ser interpretado como corrimento.

O que acontece normalmente?

Normalmente, no meio do ciclo menstrual, na época da ovulação, (Veja esse texto sobre: Como é o ciclo menstrual?) existe a produção de um muco e há um aumento deste corrimento fisiológico (por ação hormonal do estrogênio) que caracteristicamente é claro, pegajoso, sem odor e sem coceira, diminuindo logo após a ovulação; Sua finalidade é proporcionar um ambiente favorável para que os espermatozóides “nadem” para alcançar o óvulo na altura da trompa.

Por ação do sistema nervoso, por ocasião de emoções ou estímulos, o organismo pode ativar glândulas produzindo suor, lágrima, saliva e também secreções vaginais. Sabe-se, por exemplo, que ocorre um aumento da umidade vaginal decorrente da estimulação sexual. É conhecido também, que sob condições de stress, a mulher pode apresentar corrimento.

Seja por condições fisiológicas (hormonais) ou sob estimulo nervoso, a quantidade de secreções dos genitais e a sensação de desconforto variam de mulher para mulher: Existem mulheres que buscam diversos ginecologistas (Confira esse artigo sobre: Quando marcar a primeira consulta ao ginecologista?) queixando-se de corrimento e o exame ginecológico objetivo revela vagina com aspecto normal e conteúdo vaginal em quantidade normal; e o inverso também existe, isto é, pacientes que não se queixam de corrimento e o exame demonstra quantidade aumentada do conteúdo vaginal.

Qual a cor normal?

Em condições normais, a secreção é branca, mas, ao sair entra em contato com o ar e sofre rapidamente o processo de oxidação (porque tem alto teor de proteínas), tornando-se amarelado na calcinha (o que faz algumas mulheres supor que se trata de pus).

O corrimento pode também sinalizar inflamação dos genitais (vulva, vagina e colo do útero). Nesse caso, ele é geralmente abundante, com cor amarelo escuro e pode ser acompanhado de prurido e odor desagradável. Nestas condições é comum a paciente referir dor ao urinar e durante as relações sexuais. Os microorganismos que mais comumente produzem essa inflamação genital baixa (vulvovaginite e cervicite) são fungos (cândida), gardnerela, tricomonas, gonococo e clamidia.

Exames de labaratório

Quando se faz o exame laboratorial do corrimento, sempre encontramos diversas bactérias; os lactobacilos ou bacilos de Doderlein fazem parte da flora vaginal normal e sua presença indica que o ecossistema está mantido, isto é, esses bacilos basicamente só existem em ambiente vaginal adequado e saudável. Podem ser encontrados inúmeros outros microorganismo que fazem parte da flora normal; em mulheres sem corrimento podemos chegar a identificar mais de 10 tipos diferente de bactérias, que em outros locais do corpo (bexiga e sangue, por exemplo) podem produzir infecções serias.

Desse modo, a análise do resultado do exame bacteriológico do corrimento deve ser feito com critério para valorizar realmente qual o agente agressor que deve ser convenientemente tratado.

2017 © Todos os Direitos Reservados - Dra. Maria Angélica Belonia

Desenvolvido por KION | Soluções Web