O que é Menopausa?

É a fase da vida em que a mulher para de menstruar, onde o ovário deixa de produzir os hormônios estrogênio e progesterona. A mulher não pode mais engravidar e geralmente apresenta sintomas como ondas de calor, insônia, depressão entre outras.

A menopausa geralmente ocorre entre os 48 e 52 anos. Contudo, 8% tem a menopausa precoce (antes dos 40 anos) e 2% passam dos 55 anos ainda menstruando. A idade em que ocorre a última menstruação é determinada geneticamente, não tendo relação com a idade da menarca nem se alterando com o uso prolongado da pílula ou gravidezes sucessivas.

A menopausa é um evento natural, sendo que entre os mamíferos em condições naturais acontece o mesmo.

A diminuição da produção de hormônios pelos ovários ocorre geralmente de forma paulatina, levando até 2 anos para chegar a níveis baixos. Raramente ocorre de forma súbita; inicia-se com altercações no intervalo das menstruações (com ciclos mais curtos ou ciclos mais longos), frequentemente com modificações no número de dias do sangramento e da quantidade de sangue, podendo ocorrer verdadeiras hemorragias com coágulos. Pode haver períodos de regularização e depois voltar a ser irregular, até que um dia não há mais menstruação. Caso a mulher fique 1 ano sem menstruar definimos que ela está na menopausa, porque após o período de 1 ano é pouco provável que volte a menstruar.

Quais são os sintomas?

Muitas mulheres associam a menopausa ao envelhecimento, o que pode provocar um momento de grande reflexão na vida da mulher, além de as vezes  gerar sentimentos de ansiedade e depressão. Contudo, nem todas as mulheres manifestam os sintomas da menopausa visto que o que restou do ovário produz hormônios masculinos que são transformados em femininos na gordura periférica (o que acontece principalmente em mulheres com sobrepeso). Essa é uma compensação natural que protege as mulheres das consequências da falta de hormônio.

Os sintomas podem variar de mulher pra mulher, bem como sua intensidade. Pacientes quase assintomáticas não precisam de tratamento. Outras que apresentam sintomas numa intensidade intermediária podem fazer uso de remédios fitoterápicos. Já as que apresentam sintomas intensos podem precisar de reposição hormonal.

Alguns sintomas são:

  1. Incapacidade de engravidar
  2. Perda da elasticidade da pele
  3. Ansiedade
  4. Depressão e melancolia
  5. Fogachos (ondas de calor)
  6. Sudorese noturna
  7. Insônia
  8. Desânimo
  9. Diminuição da umidade vaginal
  10. Diminuição da libido

Reposição hormonal

A reposição hormonal na menopausa é feita com a administração de estrogênio. Quando a paciente tem útero, a administração isolada de estrogênio aumenta em até 25 vezes a chance de desenvolver um câncer do endométrio, dependendo do tempo de uso, por isso, nestas condições administra-se junto com o estrogênio outro hormônio, o progestagênio para proteger o endométrio. Se a paciente não tem útero, a terapia de reposição hormonal se faz só com estrogênio.

O Instituto Nacional de Saúde América e o FDA recomenda que cada paciente discuta com seu médico os riscos e benefícios da terapia de reposição hormonal, uma vez que o uso prolongado pode aumentar o risco de algumas doenças, como AVC, infarto do miocárdio e câncer de mama.

Outros cuidados

Alguns aspectos psicológicos estão envolvidos nesta fase de transição e nem sempre é fácil elaborar as mudanças que ocorrem nesse momento. A mulher precisa se abrir, conversar sobre suas angústias e ansiedade. A terapia com psicólogo pode ser importante para ajudar a mulher a se sentir melhor.  Algumas mulheres tem resistência e receio de fazer terapia, achando que isso é coisa para “louco”, mas as que aceitam fazer obtêm diversos benefícios.

2017 © Todos os Direitos Reservados - Dra. Maria Angélica Belonia

Desenvolvido por KION | Soluções Web