O que é Incontinencia Urinaria?

É a perda de urina involuntária, geralmente associada a vontade incontrolável de urinar ouao esforço físico, como tosse, espirro ou risada, por exemplo. Na mulher, os mecanismos de contenção da urina estão mais sujeitos a lesões, principalmente por causa de partos vaginais. A uretra feminina tem cerca de 4 cm de comprimento, e para seu bom funcionamento depende de produção hormonal adequada e da integridade de estruturas que a mantém na posição correta.

 

Como ocorre?

Pode ocorrer por :

  1. “Incontinência de Esforço”, em que ocorre o aumento da pressão intra-abdominal (através de tosse ou espirro, por exemplo) e há perda incontrolável de urina caso os mecanismo de contenção estejam enfraquecidos.
  2. “Incontinência por Urgência”, quando há um aumento da atividade da bexiga e o desejo de urinar é incontrolável.

Aproximadamente 15% das mulheres que menstruam apresentam algum tipo de incontinência urinária. Após a menopausa essa porcentagem chega a 60%. A incontinência urinária de esforço decorre de uma falha no mecanismo de aumento de pressão uretral, que deve ser maior que o aumento de pressão intravesical. Geralmente, o defeito decorre de trauma de parto e enfraquecimento das estruturas de contenção por ocasião da menopausa. Outras vezes, o aumento da pressão abdominal decorrente da obesidade pode conter os mecanismos de fechamento da uretra e, nessas condições, apenas a diminuição de peso leva ao equilíbrio e cura desse problema.

Sempre é importante solicitar exame de urina e cultura para avaliar se há infecção urinária. O exame endoscópico da bexiga (cistoscopia) também é utilizado para diagnosticar cálculos, tumores e cistite intersticial. Mas o teste urodinâmico completo é que vai analisar o funcionamento da bexiga e uretra, identificando qual o efeito em questão e orientando o tratamento.

A incontinência urinária por urgência pode ser causada por diferentes fatores: bexiga hiperativa, cistite aguda, cistite intersticial e irritabilidade do músculo da bexiga. O diagnóstico é feito pesquisando a maneira como ocorre a perda de urina.

Em se tratando de cistite aguda ou crônica, o uso adequado de antibióticos cura a cistite e a incontinência urinária. Se ela surgiu após aumento acentuado de peso, o emagrecimento resolve a incontinência. O tratamento da tosse crônica também pode levar ao alívio da incontinência urinaria. Quando surge após a menopausa é possível que a reposição local de hormônios (cremes vaginais de hormônio) restabeleça os mecanismos de contenção da urina e trate a incontinência.

Exercícios que reforcem a musculatura pélvica (exercício de Kegel) podem diminuir ou extinguir a perda involuntária de urina dos casos de incontinência por esforço. Em alguns casos de incontinência urinária de esforço o médico pode prescrever também uso de medicações que modulam o ato de micção.

A incontinência urinária de esforço pode ser tratada ainda por uma série de técnicas operatórias. Como o problema básico é uma perda do mecanismo de contenção da urina por frouxidão dos tecidos, podem ser usados materiais sintéticos inabsorvíveis, inertes, resistentes e autofixantes, para manter as estruturas em posição adequada, restabelecendo a fisiologia.

2017 © Todos os Direitos Reservados - Dra. Maria Angélica Belonia

Desenvolvido por KION | Soluções Web