A gestante pode ser diabética antes de engravidar ou pode desenvolver a diabetes durante a gestação (diabetes gestacional).

Quando a paciente já apresenta Diabetes antes da gestação, os cuidados em relação aos valores de glicemia devem ser intensificados. Caso os valores glicêmicos estejam normais os riscos são pequenos. Contudo, se apresentar aumentos de níveis glicêmicos no período de concepção isto pode favorecer o aparecimento de malformações fetais (tal como as malformações cardíacas).

Na diabetes gestacional, se os níveis glicêmicos forem controlados com dieta e exercícios físicos, os riscos durante a gestação são semelhantes aos comparados a uma gestante sem a doença. Entretanto, se a gestante não conseguir controlar a glicemia e ficar num regime hiperglicêmico, isto passará para o feto e este aumentará a produção de insulina (para remover o excesso de glicose) e também de fator de crescimento, o que poderá resultar em fetos grandes (acima do peso esperado para o tempo de gestação – Macrossomia) e aumento do líquido amniótico (Polidrâmnio). Nos casos descompensados com hiperglicemia, macrossomia e polidrâmnio a conduta deve ser instituída o quanto antes, caso contrário os danos sobre o feto podem ser graves, como partos prematuros, desconforto respiratório, trauma no parto (bebês grandes), hipoglicemia no berçário e em alguns casos mais descompensados pode até ocorrer o óbito fetal.

Como minimizar os riscos?

É importante realizar um bom pré-natal. Realizar a glicemia de jejum no início do pré-natal e por volta da 26º/28º semana realizar um teste de tolerância oral a glicose (dosar a glicemia 1 hora após ingerir 50g de glicose) ou nos casos de maior risco de desenvolver o diabetes, realizar uma curva glicêmica de 2 horas com ingestão de 75 g de glicose. Caso haja alterações nestes exames, o obstetra deve intervir orientando uma dieta específica que pode ser feita por uma nutricionista; orientar exercícios físicos e quando possível o acompanhamento da glicemia através do teste de glicemia capilar ou “Ponta do Dedo”.  Se o controle for adequado a evolução da gestação é favorável, contudo, se mesmo com estas medidas a glicemia ficar alterada pode ser necessário introduzir a insulina.

Em casos bem controlados, o parto poderá ser aguardado até o termo e a via de parto (normal ou cesárea) dependerá da evolução do trabalho de parto. Nos casos de difícil controle o parto poderá ser induzido ao completar 38 semanas de gestação.

2017 © Todos os Direitos Reservados - Dra. Maria Angélica Belonia

Desenvolvido por KION | Soluções Web